Skip to content

Archive for janeiro, 2013

31
jan

Medicamentos manipulados terão bulas padronizadas no Paraná

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

O Paraná é o primeiro estado a obrigar farmácias de manipulação a fornecer bulas detalhadas com seus medicamentos. A medida começou a valer nesta quinta-feira (31), após o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, assinar resolução que normatiza forma e conteúdo das chamadas “bulas magistrais”, com informações semelhantes às encontradas em remédios industrializados.

De acordo com Caputo Neto, a legislação estadual serve de modelo para que uma normativa nacional seja criada, beneficiando os usuários desse mercado que vêm crescendo a cada ano no Brasil. “O objetivo é informar o consumidor da melhor forma, evitando acidentes na administração desses medicamentos”, explicou o secretário, que também é profissional farmacêutico.

As farmácias de manipulação do Paraná terão 180 dias para se adequar às novas normas. Após esse prazo, estarão sujeitas a sanções das Vigilâncias Sanitárias municipais e estadual, que vão desde notificação ou multa até a suspensão do direito de manipulação e venda do estabelecimento.

A resolução SESA 62/2013 regulamenta a Lei estadual 17.051/2012, proposta pelo deputado estadual Valdir Rossoni e assinada pelo governador Beto Richa. Ela é resultado de um trabalho conjunto entre o Governo do Estado, entidades representativas, conselhos de classe, instituições acadêmicas e profissionais da área farmacêutica.

Segundo Ademir Valério Silva, presidente nacional da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais – Anfarmag, a proposta paranaense deverá ser levada em breve ao Senado Federal. “Essa construção compartilhada que nos foi apresentada pelo Paraná mostra a importância de um governo democrático, aberto à discussão. Isso proporcionou que fosse criada uma norma exequível e que poderá ser aplicada em todo o Brasil”, enfatizou.

PROCESSO

Em abril de 2012, foi criada uma comissão interinstitucional para gerenciar o processo de regulamentação da lei e avaliar o impacto regulatório no mercado. A resolução também ficou disponível em consulta pública durante 30 dias e recebeu contribuições de diversas entidades, inclusive de outros estados.

Após esse período, a comissão ganhou o apoio do Departamento de Design da Universidade Federal do Paraná que auxiliou na elaboração de quatro modelos de bulas. “Além das bulas para medicamentos alopáticos e homeopáticos, também criamos duas versões específicas para usuários com limitações visuais, algo nunca visto no mundo”, ressaltou a professora Carla Spinillo.

CONTEÚDO

As bulas deverão estar separadas do medicamento e conter identificação do paciente e do fabricante, telefone do Serviço de Atendimento ao Consumidor, informações sobre como usar os medicamentos, cuidados necessários durante a gravidez e o período de amamentação, o que fazer quando a pessoa esquece de tomar o medicamento, onde e como guardar o medicamento, o que fazer em caso de acidentes, além de outras frases de advertência e informações sobre reações indesejáveis e contraindicações.

A resolução completa e os modelos de bulas estão disponíveis no site www.saude.pr.gov.br.

31
jan

Tecnologia 4G vai chegar em Curitiba

A capital paranaense Curitiba será a quarta cidade brasileira a ter a tecnologia 4G, segundo anúncio feito nesta terça, dia 29, pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. A empresa Claro será responsável pelo lançamento na cidade na próxima semana.

A Claro lançou o 4G no Recife em dezembro do ano passado. De acordo com as regras do leilão feito pela Anatel no ano passado, as empresas deverão oferecer a tecnologia 4G nas cidades que serão sedes da Copa das Confederações até abril deste ano.

Matéria completa da Gazeta do Povo

Curitiba será a segunda cidade a ter 4G no Brasil, diz Paulo Bernardo

De acordo com as regras do leilão feito pela Anatel, as empresas deverão oferecer a tecnologia nas cidades que serão sedes da Copa das Confederações até abril deste ano

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, anunciou nesta terça-feira (29) que a empresa de telefonia Claro irá lançar a tecnologia 4G em Curitiba na próxima segunda-feira (4). Ao participar do Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas em Brasília, o ministro disse que todas empresas estão se preparando para cumprir os prazos de instalação do 4G no país, que possibilita o acesso à internet móvel até dez vezes mais rápido do que a tecnologia utilizada atualmente, o 3G.

“A Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações] está monitorando, porque as empresas têm um prazo para desocupar o espectro. No caso de Brasília, por exemplo, várias empresas já instalaram suas torres e antenas que estão em condição e funcionamento, mas desligados, porque não podem conflitar com outros serviços. Acho que vai ser bem rápido, o 4G vai chegar rapidão”, disse o ministro.

A Claro lançou o 4G no Recife em dezembro do ano passado. De acordo com as regras do leilão feito pela Anatel no ano passado, as empresas deverão oferecer a tecnologia 4G nas cidades que serão sedes da Copa das Confederações até abril deste ano.

Apesar de não ser sede da Copa da Confederações, Paulo Bernardo explicou que a escolha de Curitiba pode ter sido devido à desocupação da faixa de frequência necessária para a tecnologia 4G na cidade. “Acho que eles fizeram um acordo com a Net para antecipar a desocupação do espectro”, disse o ministro. Procurada, a assessoria de imprensa da Claro disse que ainda não tem informações sobre o lançamento do 4G em Curitiba.

31
jan

Corretor de Exportação do Porto de Paranaguá está pronto

O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá já está liberado e pode operar normalmente. Obras de manutenção e reparos foram feitas em todo o complexo, que sofreu com forte vento (que chegou a 114 km/h no final de dezembro) e as chuvas do final do último mês de dezembro.

Os seis shiploaders que operam nos três berços do Corredor (212, 213 e 214) foram lavados e lubrificados; os componentes que apresentavam defeitos foram trocados; três correias de coberturas foram substituídas por novas – adquiridas pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Porto de Paranaguá conclui obras do Corredor de Exportação

Já operam normalmente as descargas de granéis no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. As obras de manutenção do complexo já estão concluídas, assim como a recuperação dos estragos causados pelo forte vento (que chegou a 114 km/h no final de dezembro) e as chuvas do final do último mês de dezembro.

Durante os últimos dois meses, aproveitando o período de entressafra, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) realizou a manutenção do Corredor de Exportação, junto com os operadores portuários que atuam no complexo.

“Os silos horizontais e vertical (Silão) estão limpos, as chaparias e outras peças foram substituídas, e os elevadores também passaram por manutenção. Além das estruturas fixas, as correias transportadoras e os shiploaders também passaram por reparos e estão prontos para operar a todo o vapor”, afirma o diretor técnico da Appa, Paulinho Dalmaz.

Os seis shiploaders que operam nos três berços do Corredor (212, 213 e 214) foram lavados e lubrificados; os componentes que apresentavam defeitos foram trocados; três correias de coberturas foram substituídas por novas – adquiridas pela Appa, no valor de R$ 1,5 milhão; e as correias transportadoras também foram repostas. A manutenção do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá foi concluída dentro do prazo previsto.

ESTRAGOS

As obras de recuperação dos estragos causados pela tempestade que assolou Paranaguá, no último dia 26 de dezembro, também estão concluídas. Emergencialmente, logo no dia 27, uma empresa foi contratada para reparar os danos no Corredor de Exportação. A equipe começou, imediatamente, a trabalhar 24 horas por dia para concluir as obras.

A cobertura da moega foi refeita, assim como parte do telhado do Silão. Os locais mais atingidos pela chuva e o vento foram o pátio de triagem e o Corredor. “A previsão era que terminasse os reparos antes, mas nesses 23 dias de janeiro tivemos apenas três sem nenhuma chuva. Nos demais, quando não garoou, choveu forte, o que acabou dificultando as obras nos telhados, até por questão de segurança”, explica o diretor técnico da Appa.

No pátio de triagem, os novos prédios administrativos e guichês de acesso – que estavam prontos para começar a serem usados – foram bastante danificados. A estrutura de placas de alumínio em arco, de quase 80 metros de comprimento, que compunha a cobertura da nova portaria, foi completamente arrancada e retorcida pelo vento. As placas, de 12 metros de largura, voaram e acabaram atingindo o telhado das instalações dos operadores portuários que atuam no pátio.

Ainda no local, o prédio administrativo da Appa e os guichês antigos também sofreram avarias.

No Pátio de triagem, as placas que voaram já foram retiradas e amontoadas em um canto, liberando a passagem. Os escritórios dos operadores que atuam no pátio também funcionam normalmente. E a cobertura destes já foi refeita. Quanto aos novos prédios da Appa, por não terem caráter de urgência, serão reparados em um segundo momento, em um novo projeto.

No cais, o silo horizontal (AZ-07B), que armazena farelo de soja, também teve parte da cobertura danificada e já foi arrumado. Outros armazéns (06C e 06D) onde funcionam algumas divisões da Appa tiveram telhas arrancadas. Estas já foram substituídas. Os prejuízos foram contabilizados em R$ 2,8 milhões.

31
jan

Porto de Paranaguá registra aumento na exportação de milho

Um recorde foi registrado nesta última semana no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá, desde o início do ano 500 mil toneladas de milho foram exportadas, volume cinco vezes superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 99 mil toneladas de milho.

Segundo a Divisão de Silo da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), no mesmo período de 2012, apenas três navios atracaram para carregar milho.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Exportações de milho crescem cinco vezes no Porto de Paranaguá

A última semana de janeiro está bastante atípica no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. Ao mesmo tempo em que a soja começa a chegar aos terminais do complexo, a procura pelo milho continua grande. Desde o início de janeiro, foram exportadas pelo Porto de Paranaguá 500 mil toneladas de milho, volume cinco vezes superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 99 mil toneladas de milho.

Até domingo (3), são esperados 18 navios, para carregar quase um milhão de tonelada do grão.

Segundo a Divisão de Silo da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), no mesmo período de 2012, apenas três navios atracaram para carregar milho. Apesar de atípico, esse encontro da segunda safra de milho com a safra da soja já era esperado.

“O desafio é conciliar esse movimento, gerado pelas boas condições tanto do mercado internacional quanto da produção paranaense, com o mínimo impacto para a via e para a cidade. Para isso estamos trabalhando com coordenação, alinhando as estratégias com todas as empresas que fazem parte do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá”, explica o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

CAMINHÕES

Em estoque, até o fim da semana passada, havia quase 336 mil toneladas de milho. Segundo o registro do Pátio de Triagem do Porto de Paranaguá, de 1 de dezembro de 2012 até sexta-feira (25) passada, chegaram 16.838 caminhões carregados com o grão.

Na sexta-feira, nos estoques dos terminais do Corredor de Exportação, já havia pouco mais de 35 mil toneladas de soja. Na data, eram esperados cinco navios para carregar mais de 374 mil toneladas do produto. Segundo o registro do Pátio de Triagem do Porto de Paranaguá, neste mês, chegaram 837 caminhões de soja.

MUDANÇAS

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, a demanda internacional pelo milho brasileiro e, no caso, paranaense tem crescido ano a ano. “A quebra da safra dos Estados Unidos e o baixo estoque internacional dão espaço para tentar comercializar, ao máximo, o excedente da segunda safra para não bater com o auge da safra de soja que vai se intensificar em fevereiro, março e abril. Isso explica esse movimento”, comenta o técnico Marcelo Garrido.

Um dos principais operadores de grãos pelo Porto de Paranaguá é a Interalli. Uma das características da empresa é trabalhar com um produto de cada vez. No entanto, de acordo com o departamento empresarial da empresa, nesse momento em que a transição para a soja já está sendo feita (o produto geralmente é operado pela empresa de fevereiro a agosto, com exclusividade), a Interalli está movimentando os dois produtos – soja e milho. “Há certa antecipação da carga de soja, que geralmente começava a chegar em fevereiro a Paranaguá, assim como está havendo um prolongamento do escoamento do milho que pode se estender até março”, afirma o departamento.

Ainda de acordo com a empresa, a produtividade aliada às condições climáticas será a estratégia para vencer essa “colisão” entre as safras dos dois produtos. “Estamos conseguindo administrar esse período incomum. A produtividade da soja não ficará comprometida pelo escoamento do milho, já que tem um dos berços prioritários no Porto de Paranaguá em período de escoamento de safra, ou seja, já a partir de fevereiro”, conclui o porta-voz da empresa.

30
jan

Preço do litro da gasolina sobe e beira os R$ 3 em Curitiba

Fonte: Gazeta do Povo

Um dia após o anúncio da subida de preços feito pela Petrobras, postos de Curitiba, Londrina e Maringá passaram a comercializar a gasolina com preços maiores

Não demorou nem um dia para o aumento do preço do combustível nas refinarias chegar ao consumidor em Curitiba. Ao longo da tarde desta quarta-feira (30), alguns postos da capital já apresentavam aumento de pelo menos 10 centavos no litro da gasolina, que chegou ao preço de R$ 2,99 na bomba. À meia-noite desta quarta, o governo federal autorizou o reajuste de 6,6% no valor do combustível vendido nas refinarias.

Donos de postos de gasolina alegam que trabalham com estoques de um dia e que, assim que receberam um novo carregamento de combustível, o valor reajustado teve que ser repassado aos motoristas que abasteceram nesta quarta.

De 30 postos pesquisados pela Gazeta do Povo, 14 já aumentaram o preço dos combustíveis. Destes, 10 cobravam R$ 2,99 pela gasolina. Até a terça-feira (29), o maior valor mais comum registrado na cidade era de R$ 2,89.

De acordo com o proprietário do posto Sprenger, José Sprenger, a margem de lucro dos estabelecimentos é apertada e o aumento é repassado quase que na íntegra ao consumidor. “Ganhamos na quantidade e não com a margem”, afirma. Ele explica que os aumentos chegaram rápido as bombas em função dos baixos estoques dos postos. “As distribuidoras trabalham atualmente com uma reserva muito pequena de combustível. No posto, um estoque dura no máximo dois dias”, explica.

Diesel

A Petrobras também reajustou o preço do diesel em 4,4%. O combustível, que semana passada era vendido, em média, a R$ 2,06 na cidade, agora já é encontrado a R$ 2,29, um aumento de mais de 11%.

A Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar) estima que o reajuste pode impactar em até 3% no preço do frete rodoviário. “O setor irá sentir um aumento de, no mínimo, 2,5% no custo do frete, podendo chegar até 3% em algumas operações, nas quais o diesel representa mais de 50% do valor do frete”, afirma o presidente da entidade, Sérgio Malucelli.

Postos já aumentaram preços no interior

Fabio Calsavara, do Jornal de Londrina; a Tatiane Salvatico, da Gazeta Maringá

O aumento no preço da gasolina já chegou também aos postos de Londrina e Maringá, as duas maiores cidades do interior do Paraná

Entre dez estabelecimentos consultados pelo Jornal de Londrina na manhã desta quarta-feira (30), um já havia reajustado o preço do litro do combustível de R$ 2,79 para R$ 2,89. Outros seis confirmaram que os preços aumentarão no período da tarde, com a chegada de novos carregamentos, e outros dois aplicarão o novo preço antes mesmo da nova compra de gasolina.

Gazeta Maringá fez consulta semelhante, em Maringá, e constatou que três postos reajustaram o preço do litro do combustível em R$ 0,10 em média. Outros sete confirmaram que os valores vão aumentar até o próximo fim de semana.

O preço médio do litro da gasolina nos dez postos consultados de Londrina era de R$ 2,81 durante a manhã desta quarta-feira (30), com preços variando entre R$ 2,77 e R$ 2,89. Em Maringá, o preço médio da gasolina na cidade nesta manhã era de R$ 2,72, com valores que iam de R$ 2,45 a R$ 2,99.

Motoristas são pegos de surpresa

Paulo Henrique Vital, proprietário de um posto localizado no Jardim Canadá, em Maringá, disse que o anúncio da Petrobrás o pegou de surpresa. Segundo ele, o reajuste nacional era esperado para 1º de fevereiro. “A ideia era fazer uma compra grande nesta quarta-feira para estocar combustível e manter os preços mais baixos por mais tempo, o que não será possível.” No início da próxima semana, a gasolina será comercializada por R$ 2,99 no posto de Vital.

Para o diretor do Núcleo Municipal de Proteção ao Consumidor (Procon) de Londrina, Rodrigo Brum da Silva, os reajustes podem ser feitos, desde que sigam o aumento indicado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). “Qualquer outra situação é irregular e precisa ser denunciada ao Procon”, alertou.

Alta da gasolina “não atrapalha ninguém”, diz Mantega

A alta da gasolina para o consumidor deve ficar em cerca de 4%, conforme projeção do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Governo elevará mistura do etanol à gasolina em 1º de maio

Agência Estado

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quarta-feira (30) que o governo irá elevar a mistura do etanol na gasolina, dos atuais 20% para 25%, em 1º de maio.

A medida é uma maneira de atenuar o impacto do aumento de preços do combustível nas refinarias no preço final dos postos. Lobão esteve reunido com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e representantes do setor sucroalcooleiro.

30
jan

Depois de blitze, 80 casas noturnas são interditadas pelo país

Fonte: Gazeta do Povo, com Agências

Entre as irregularidades encontradas estão obstrução da saída de emergência, falta de sinalização da rota de fuga, alvará de funcionamento e licença ambiental vencidos e ausência de extintores de incêndio

Em meio a uma força-tarefa para realizar vistorias em casas noturnas, prefeituras, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil já começaram a fechar estabelecimentos pelo país.

A reportagem localizou exemplos de ao menos 80 casas noturnas que foram interditadas em Estados como Amazonas, Bahia, Espírito Santo e Santa Catarina.
Uma das cidades com o maior número de estabelecimentos fechados é Manaus. Em menos de três dias de fiscalização, 52 casas foram fechadas.

Entre as irregularidades encontradas estão obstrução da saída de emergência, falta de sinalização da rota de fuga, alvará de funcionamento e licença ambiental vencidos e ausência de extintores de incêndio.
A fiscalização fechou as portas de algumas das principais casas noturnas da cidade, como as boates Tropical Club, Fire, All Night, República Real, Musique Nuit e Xote de Menina. Os proprietários informaram que concordam com a ação e vão regularizar os estabelecimentos.

Em Salvador, até o final da tarde de hoje, houve três interdições, duas multas e cinco notificações para casas de eventos e camarotes montados para o Carnaval.

Os fiscais identificaram até mesmo uma borracharia que se transformava em danceteria à noite, no bairro do Rio Vermelho, o mais boêmio da cidade. O local não tinha alvará para funcionar como boate. Todos os três espaços interditados disseram que vão se regularizar nos próximos dias.

Em Ilhéus (BA), a prefeitura suspendeu todos os alvarás concedidos a locais que realizam eventos após constatar que vários deles foram obtidos de forma irregular. A medida atinge cerca de 20 estabelecimentos.
Em Blumenau (SC), a equipe de fiscalização fechou a casa noturna Riska Faca depois de detectar mudanças na estrutura em relação ao projeto original – o bar e o banheiro mudaram de lugar. Proprietários dizem que um novo projeto deve ser enviado para aprovação amanhã.

Irregulares

Durante as vistorias, casas noturnas também receberam ultimato para regularizar o sistema de segurança e prevenção de incêndio.

No Pará, proprietários de 57 estabelecimentos receberam prazo de 24 horas para se adequarem às normas.
Situação semelhante ocorre em Florianópolis. Das 61 casas noturnas, 47 têm falhas na segurança ou na documentação, segundo o Ministério Público Estadual.

Uma vistoria deve ser feita na noite de hoje. De acordo com a Promotoria, caso os problemas não sejam resolvidos, os estabelecimentos podem ser fechados.

Revestimento

A defesa de um dos sócios da boate Kiss admitiu na terça-feira (29) que a casa noturna revestiu por conta própria o teto do estabelecimento com uma espuma que foi instalada em cima do isolamento acústico. O local foi incendiado no último domingo provocando a morte de 235 pessoas.

De acordo com o advogado Jader Marques, o sócio Elissandro Spohr, 28, fez um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público após a vizinhança se queixar do excesso de barulho do local. O processo, com mais de 500 páginas, foi firmado entre 2009 e julho de 2012, e previa a instalação de uma proteção acústica que formava uma espécie de “sanduíche” com gesso, manta de fibra de vidro e gesso novamente.

Segundo o advogado, essa obra foi feita, mas como as queixas dos moradores não cessaram, o sócio decidiu, segundo o advogado, procurar especialistas e engenheiros para resolver o problema.
Marques disse que a espuma foi a opção apontada, mas admitiu que o Ministério Público não tinha conhecimento dessa mudança. Questionado sobre quem eram esses profissionais consultados, o advogado não soube responder.

O advogado disse que a casa tinha “plenas condições” de receber a festa.
Segundo testemunhas, o fogo na boate Kiss começou na espuma de isolamento, após um integrante da banda Gurizada Fandangueira manipular um sinalizador. Faíscas atingiram o teto e iniciou as chamas. O guitarrista da banda afirmou que o extintor de incêndio não funcionou.

Sinalizadores

Segundo Marques, a banda Gurizada Fandangueira nunca tinha usado sinalizadores nas apresentações dentro da boate, apesar de a banda divulgar em seu site que fazia “espetáculo pirotécnico”.

O advogado disse que um dos integrantes da banda disse ao sócio que “tinha novidades” para o show e que ele foi surpreendido com o sinalizador. “Ele não podia tomar providência porque não sabia o que seria feito. Foi uma surpresa”. comentou.

Bombeiros

O advogado reclamou da forma como o Corpo de Bombeiros atendeu a ocorrência. Segundo ele, um funcionário da boate ligou às 3 horas para pedir socorro e a chamada não foi atendida. “Foi uma operação desastrosa, ineficiente e desorganizada”, afirmou Marques.

Ele diz que os bombeiros não poderiam ter permitido que civis ajudassem no resgate de outras vítimas. “Um bombeiro responsável não deve submeter um civil a tamanho risco.”

Segundo ele, a água jogada pelo caminhão dos Bombeiros na única porta de saída da casa noturna também dificultou a saída dos frequentadores da casa noturna.


Alvará da boate estava vencido

O comandante-geral da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, Sérgio Roberto de Abreu, disse que o Alvará de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI) da Boate Kiss estava em processo de renovação, o que não exigia o fechamento da casa noturna.

“De acordo com o alvará anterior [vencido em agosto de 2012], os sistemas de prevenção de incêndio previstos na lei estavam instalados e operantes. Assim, enquanto tramita o pedido de renovação do [novo] alvará, não há previsão legal para interdição imediata determinada pelo Corpo de Bombeiros, cuja competência é limitada às questões relacionadas ao sistema de prevenção de incêndio”, diz o texto do documento, divulgado no final da noite de ontem (29).

Segundo a nota, no último mês de setembro, o Corpo de Bombeiros havia notificado o proprietário da boate sobre o vencimento do Alvará de PPCI – cuja emissão e fiscalização cabem aos bombeiros – em agosto de 2012. “Em novembro, o proprietário solicitou a inspeção para renovação do alvará, e o processo estava em tramitação no Corpo de Bombeiros”.

Ontem, a prefeitura de Santa Maria informou que a documentação da boate, sob sua responsabilidade, estava em dia, e também se eximiu da responsabilidade por não ter proibido o funcionamento do estabelecimento.

No comunicado, a corporação também diz não ter responsabilidade quanto à lotação do local, que tinha capacidade máxima, de acordo com os documentos que autorizavam o seu funcionamento, para 691 pessoas. “O ingresso de pessoas além da capacidade autorizada não tem amparo legal, expôs os usuários a riscos, sendo responsabilidade dos proprietários.”

O Corpo de Bombeiros ressaltou ainda que o PPCI [já vencido] apresentado pela Kiss e aprovado pelo Corpo de Bombeiros, mostrava que, na boate, havia duas saídas de emergência, cujas portas tinham sentido de abertura para fora, dotadas de barras antipânico e devidamente sinalizadas.

“Suas dimensões estavam adequadas à população de 691 pessoas. A ocupação do local com público superior ao previsto no PPCI aprovado exigiria o redimensionamento das saídas de emergência e apresentação, pelos proprietários, para nova apreciação pelo Corpo de Bombeiros. Também era dever do proprietário manter as rotas de fuga totalmente desobstruídas, o que não ocorreu”.

A corporação informou também que não há registro de qualquer solicitação para autorização de uso de artefatos pirotécnicos no interior da Boate Kiss. “Se tivesse havido solicitação para uso de fogos de artifício na Boate Kiss, o Corpo de Bombeiros não teria autorizado. Os artefatos pirotécnicos usados na boate não têm amparo técnico para uso no local”.

Sobre os extintores de incêndio, os bombeiros ressaltam que a documentação apresentada pela Kiss, em outubro de 2012, comprova a validade dos equipamentos até outubro de 2013. “Eventual troca de equipamento, falha ou deficiência no seu manuseio serão questões analisadas pela perícia. É responsabilidade do proprietário manter no local funcionários treinados a manusear os extintores de incêndio.”

Sobe número de pessoas internadas com sintomas de pneumonite química

Subiu para 143 o número de pessoas internadas em Santa Maria e Porto Alegre, vítimas do incêndio na Boate Kiss, na madrugada do último domingo (26). Mais 20 pessoas procuraram os serviços de saúde porque estiveram na casa noturna no momento da tragédia e apresentaram sintomas como cansaço e falta de ar, típicos da pneumonite química que pode ocorrer até cinco dias depois do acidente. Essas pessoas estão internadas em observação e o quadro pode evoluir para a necessidade de respiração por aparelhos.

Polícia faz reconstituição do incêndio

A Polícia Civil fez nesta quarta-feira (30) uma reconstituição do incêndio da Boate Kiss, ocorrido na madrugada de domingo (27). Testemunhas indicaram aos policiais o local exato onde o fogo começou – no teto sobre o palco onde estava o vocalista da banda – e relataram que o extintor de incêndio usado por um dos músicos não funcionou.

Além da reconstituição, também foram ouvidas 14 pessoas pela polícia. Os depoimentos mostraram que a fumaça preta tomou toda a boate no prazo de 40 segundos a um minuto, impedindo as pessoas de enxergarem.

Família que mora em Curitiba teve filha ferida na tragédia

A família Forgiarini, que mora em Curitiba há dois anos e meio, está em Porto Alegre para acompanhar o estado de saúde da filha Jéssica Duarte desde o último domingo (27). A jovem, de 20 anos, estava na boate Kiss, em Santa Maria. Ela está internada em um hospital de Porto Alegre.

Boate estava com lotação duas vezes acima da capacidade

O advogado Jader Marques, que defende Elissandro Spohr, o Kiko, um dos donos da boate Kiss, garantiu nesta quarta-feira (30) que não havia mais de 650 pessoas dentro da danceteria na noite do incêndio que matou, até agora, 235 pessoas. Já o tenente coronel do 1º Batalhão dos bombeiros em Porto Alegre, Adriano Krukoski Ferreira, respondendo ao advogado, afirmou que, segundo depoimentos, havia no local entre 1.200 e 1.500 pessoas.

Estudantes contam que superlotação era comum na Kiss

Estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), que frequentavam a Boate Kiss, disseram que era comum a casa noturna ficar superlotada.

Segundo eles, a casa noturna promovia três festas por semana e era a mais popular entre os estudantes da UFSM. Os universitários alegam que a aglomeração de pessoas no fim das festas sempre causava tumultos.

30
jan

Educação do PR ganha R$ 52 milhões em investimentos

O ano de 2013 começou com muitos incentivos para a educação pública paranaense. Esta semana, o governador do Estado, Beto Richa, anunciou um pacote de R$ 52 milhões para melhoria e modernização na infraestrutura escolar. Com esses investimentos cerca de 2.100 escolas, o que representa 98% das unidades da rede estadual, serão beneficiadas.

Novos equipamentos serão comprados com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Serão adquiridos 32 mil tablets para professores do ensino médio, 122 mil conjuntos de carteiras escolares, mesas para salas de aula e laboratórios, mobiliário para bibliotecas e aparelhos para as cozinhas, além de equipamentos de proteção para mais de 5.400 merendeiras da rede estadual de ensino.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Richa anuncia recursos para melhoria e modernização de 2.100 escolas

O governador Beto Richa anunciou um pacote de R$ 52 milhões para melhoria e modernização na infraestrutura escolar para o início do ano letivo de 2013. Os investimentos vão beneficiar cerca de 2.100 escolas, o que representa 98% das unidades da rede estadual. As medidas foram apresentadas para os chefes de Núcleos Regionais de Educação em solenidade no Palácio Iguaçu nesta segunda-feira (28/01).

Os recursos são do Governo do Estado e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e incluem a aquisição de equipamentos como 32 mil tablets para professores do ensino médio, 122 mil conjuntos de carteiras escolares, mesas para salas de aula e laboratórios, mobiliário para bibliotecas e aparelhos para as cozinhas, além de equipamentos de proteção para mais de 5.400 merendeiras da rede estadual de ensino.

Os novos equipamentos começaram a ser entregues pela Secretaria da Educação no final do ano passado. “A qualidade da educação é a nossa maior obra. Esses investimentos são uma pequena mostra do trabalho que envolve, acima de tudo, valorização e respeito ao professor, alunos e sociedade”, destacou o governador Beto Richa.

Segundo o governador, os investimentos atendem às principais reivindicações dos profissionais da educação. “Hoje temos uma união entre o governo e toda a comunidade escolar”, disse Richa, lembrando que desde 2011 a Secretaria da Educação visita e trabalha junto aos 32 núcleos regionais para debater as principais demandas do magistério estadual.

Dentro do pacote de investimentos também estão sete conjuntos formados por trator, arado, roçadeira, grade niveladora e carreta, para diretores de colégios agrícolas e centros de educação profissional. Os equipamentos são específicos para o ensino técnico na área agrícola e fazem parte de um pacote de R$ 200 milhões que está sendo aplicado na Educação Profissional, que inclui construção de novas unidades, reforma e ampliação de escolas existentes, instalação e atualização de laboratórios e acervo e formação continuada.

VALORIZAÇÃO

“A volta às aulas será marcada por uma série de investimentos na modernização da infraestrutura escolar e na valorização profissional. Muitos desses materiais são aguardados desde 2005, principalmente o mobiliário, que traz mais conforto e segurança para professores, alunos e funcionários”, afirmou o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns.

Para Lúcia Aparecida Cortes Matos, chefe do Núcleo Regional de Educação de Londrina, os investimentos demonstram a valorização dos profissionais de educação. “Nós que estamos na ponta sabemos da importância desses investimentos. Há anos não temos tido a atenção adequada do Estado, mas hoje, somos respeitados e valorizados”, destacou a professora.

Participaram da solenidade o secretário-chefe de gabinete, Deonilson Roldo; o chefe da Casa Militar, coronel Adilson Castilho Casitas; o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Valdir Rossoni, os deputados estaduais Plauto Miró, Alexandre Cury, Pedro Lupion, professor Lemos, Rose Litro, Nelson Luersen e Jonas Guimarães; prefeitos, chefes de núcleos, entre outras autoridades.

NOVAS TECNOLOGIAS

Parte do investimento integra um projeto para implantar novas tecnologias para a educação no Paraná. Inicialmente, professores do ensino médio vão receber aproximadamente 32 mil tablets e serão capacitados para usar os aparelhos em sala de aula, com acesso à internet. O equipamento permite fazer o registro de classe e o lançamento de notas on-line, além de facilitar a consulta a livros e outros conteúdos digitais.

A Secretaria da Educação já iniciou a capacitação de técnicos e multiplicadores que repassarão o conhecimento aos professores. Os próximos a serem incluídos no programa serão os professores da educação básica, de Apaes e escolas de educação especial.

“Esse equipamento vem somar nos trabalhos dos professores, que terão uma ferramenta moderna. Os alunos chegam na escola com esse tipo de tecnologia e nós precisamos estar juntos com nesta evolução”, comemorou a chefe do Núcleo Regional de Educação de Ponta Grossa, Maria Izabel Vieira.

A meta da secretaria é levar internet em banda larga e sem fio para dentro das 25 mil salas de aula da rede estadual. Com o sistema (Wi-Fi), cada sala de aula terá um computador com projetor multimídia integrado, que permitirá ao professor projetar conteúdos educacionais em qualquer superfície, como uma lousa digital.

INFRAESTRUTURA

Do total de novas carteiras, 1.000 serão destinadas para alunos com deficiência. Além disso, a secretaria investe em aparelhos de ar condicionado, mesas, fogões e fornos industriais, freezers, refrigeradores, entre outros equipamentos.

“Esses investimentos significam mais qualidade na educação e a segurança de que toda escola possa desenvolver bem seus trabalhos”, salientou Flávio Arns. Segundo ele, até o final do ano devem ser investidos R$ 100 milhões na compra de equipamentos para a infraestrutura escolar.

PROTEÇÃO PARA MERENDEIRAS

A Secretaria da Educação também entregará 5.441 conjuntos de uniformes para profissionais que trabalham nas cozinhas escolares. É a primeira vez que esses profissionais da Educação recebem esse tipo de equipamento completo.
Cada merendeira está recebendo um kit com dois jogos de calça e jaleco, avental de tecido e de PVC, luvas de látex, luvas descartáveis, toucas protetoras e botas de PVC.

De acordo com o superintendente de Desenvolvimento Educacional, Jaime Sunye Neto, esses equipamentos escolares são apenas uma parte do grande investimento que está sendo feito na modernizada da estrutura interna das escolas do Paraná. “Além dos equipamentos, temos um trabalho gigantesco para construção, ampliação, reforma, projetos, mapeamento da necessidade de novas unidades, sem falar em todo trabalho pedagógico”, afirmou.

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

O governador Beto Richa entregou, ainda, sete conjuntos agrícolas – formados por trator, arado, roçadeira, grade niveladora e carreta – para Colégios Agrícolas e Centros de Educação Profissional. Os equipamentos serão utilizados para o ensino técnico dos alunos.

“Agricultura é a base da nossa economia. Estamos investindo na capacitação desses futuros profissionais para que tragam ainda mais desenvolvimento para o nosso campo”, disse o governador.

“O ensinamento técnico é fundamental para nossos alunos. Esses equipamentos vêm somar para e melhorar a educação do nosso colégio”, agradeceu Rogério João Brekaito, diretor do Colégio Agrícola Manoel Moreira Pena, de Foz do Iguaçu.

Também receberam os conjuntos agrícolas os Centros de Educação Profissional de Arapoti, Newton Freire Maia (Pinhais), Mohamad Ali Hanzé (Cambará) e os Colégios Agrícolas de Campo Mourão e Umuarama.

AGRICULTURA FAMILIAR

Durante a solenidade, o governador Beto Richa confirmou que o Estado investirá neste ano R$ 32 milhões na compra de produtos da agricultura familiar para compor o cardápio da merenda das escolas estaduais. O valor é quase onze vezes maior que o investido no ano passado. “É mais qualidade na alimentação dos nossos alunos e um importante instrumento para auxiliar as famílias produtoras do nosso Estado”, disse .

Equipamentos distribuídos para escolas da rede estadual

32.022 tablets para professores do ensino médio
121.000 conjuntos de carteiras para alunos
5.441 kits de equipamentos para merendeiras
1.000 carteiras para pessoas com deficiência
1.766 aparelhos de ar condicionado
5.000 mesas para bibliotecas
960 fogões industriais
20.000 carteiras para bibliotecas
1.750 fornos industriais
3.500 mesas tipo escrivaninha
1.400 freezers horizontais
1.000 mesas de reunião
1.250 refrigeradores
5.000 banquetas para laboratórios
2.000 mesas para refeitório

30
jan

Merenda escolar no PR terá mais alimentos da agricultura familiar

Esta semana o governador do Paraná, Beto Richa, assinou a aquisição de R$ 32 milhões em produtos da agricultura familiar que farão parte da alimentação escolar servida aos alunos de 2.368 escolas da rede estadual.

O valor destinado a essa aquisição é um dos mais expressivos no País e amplia a participação de pequenos agricultores no fornecimento de produtos para a alimentação escolar, com mais escolas e municípios atendidos.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Merenda escolar terá 85% mais alimentos da agricultura familiar

A alimentação escolar servida aos alunos de 2.368 escolas da rede estadual terá uma parcela ainda maior de alimentos produzidos por pequenos agricultores. O governador Beto Richa homologou nesta segunda-feira (28), junto com a apresentação dos novos equipamentos para escolas estaduais, a aquisição de R$ 32 milhões em produtos da agricultura familiar. O recurso ampliará a quantidade de 6.366 toneladas, comprados ano passado, para 11.779, neste ano, o que representa 85%.

O valor destinado a essa aquisição é um dos mais expressivos no País e amplia a participação de pequenos agricultores no fornecimento de produtos para a alimentação escolar, com mais escolas e municípios atendidos. Em 2010, o Estado destinou R$ 3 milhões para a participação da agricultura familiar na merenda, que se resumia ao fornecimento de leite.

De acordo com o governador Beto Richa, esta é mais uma conquista que envolve trabalho e esforço de vários técnicos do Estado para beneficiar os estudantes e fortalecer pequenos agricultores. “A presença desses produtos na merenda é um estímulo ao consumo de frutas e hortaliças pelos alunos, e também impulsiona a economia dos municípios e melhora a qualidade de vida das famílias”, destaca Richa.

ASSOCIAÇÕES

Para o secretário da Educação e vice-governador, Flávio Arns, a participação da agricultura familiar na merenda fortalece também o associativismo. “A ação que está levando mais qualidade na alimentação e estimulando hábitos saudáveis nos alunos também é um fator de geração de renda e de associativismo”, afirma o vice-governador e secretário estadual da Educação, Flávio Arns.

Com mais recursos destinados nos dois últimos anos, a participação da agricultura familiar paranaense na merenda escolar subiu consideravelmente e houve também uma grande diversificação de produtos na alimentação dos alunos. De 2.472 toneladas, em 2010, para 11.779 toneladas em 2013.

Neste ano, serão 136 instituições de agricultores familiares que fornecerão alimentos para 2.368 escolas estaduais. São 83 itens de 12 grupos: açúcares, carne e ovos, cereal, feijão, frutas, hortaliças, iogurte e similar, legumes, leite, outros lácteos, panificados e sucos. Durante o ano, essa quantidade de alimentos estará presente nas escolas estaduais de 374 dos 399 municípios paranaenses. 

TRANSPORTE

Outra grande vantagem da participação de pequenos produtores no fornecimento da merenda é que os alimentos não precisam percorrer grandes distâncias e chegam frescos às escolas. “O alimento produzido mais perto do consumidor final colabora com o meio ambiente, pois requer menos combustível para ser transportado”, avalia Jaime Sunye Neto, superintendente de Desenvolvimento Educacional.

Para melhorar o fornecimento da agricultura familiar na alimentação escolar a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação (Celepar) desenvolveram um sistema eletrônico, que permite a classificação dos produtores conforme proximidade entre o produtor e as escolas, entre produtores orgânicos, sazonalidade do produto e produção de comunidades tradicionais como indígenas e quilombolas.

“Em poucos anos, o Paraná tornou-se referência no fornecimento de gêneros da agricultura familiar na alimentação escolar e isso de deve também a grande organização das instituições como Emater, Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento e o entusiasmo da equipe de técnicos da Educação que abraçou esta nova proposta”, destaca Márcia Cristina Stolarski, diretora de Infraestrutura e Logística da Secretaria Estadual da Educação.

ORGÂNICOS

Dentro do edital de chamada pública da Agricultura Familiar, a Secretaria Estadual da Educação prioriza e incentivo aos produtores orgânicos, que recebem 30% a mais pelo mesmo item pago ao produto convencional. A medida começou em 2011 e é um dos fatores que ajudou o Paraná a triplicar o número de escolas que colocam alimentos orgânicos na merenda. Naquele ano, foram beneficiadas 40 escolas, em 24 municípios.

Em 2012, o número passou para 414 escolas, em 68 municípios, e a quantidade de alimentos orgânicos oferecidos aos estudantes saltou de 9 para 660 toneladas. Neste ano, serão fornecidas 2.357 toneladas de alimentos orgânicos na merenda escolar, em 69 municípios paranaenses.

“Ampliamos na merenda das escolas cerca de 30% os produtos orgânicos, oriundos da nossa agricultura familiar. Nunca houve isso. Além de garantir uma alimentação mais saudável, estamos contribuindo para fortalecer a agricultura familiar do Paraná”, declarou o governador Beto Richa.

O presidente da Associação para o Desenvolvimento da Agroecologia do Paraná (Acopa), Neilton Agner Júnior, elogiou o edital do governo de chamada pública para pequenos produtores. “É exemplo para o Brasil. Em dois anos o Paraná avançou muito e com essa prática, as escolas diminuem o uso de enlatados e processados, que estão sendo substituídos por produto natural, cultivado bem perto das escolas”, declarou Agner.

O presidente da Acopa estima que cerca de 20 mil pequenos produtores, entre orgânicos e convencional, são diretamente beneficiados pelo edital de aquisição da agricultura familiar do Governo do Estado para a merenda.

Além de fornecer o alimento, os produtores também estabelecem uma relação direta com as escolas. “Muitos desses pequenos agricultores vão até as escolas conversar com as merendeiras, informam quando e quais os produtos que serão entregues para que elas façam o planejamento das receitas”, disse Agner.

30
jan

Dilma anuncia pacote de R$ 66,8 bilhões para prefeitos

A presidente Dilma Rousseff participou do Encontro Nacional de Prefeitos, em Brasília, e anunciou um pacote de bondades de R$ 66,8 bilhões para investimentos em diferentes áreas. Ela ainda garantiu que irá promover este ano o encontro de contas de pelo menos 833 municípios, zerando a dívida previdenciária dessas cidades com prestações de até R$ 500 mil mensais a partir de março.

Matéria completa da Gazeta do Povo

Dilma promete pacote de R$ 66,8 bi para prefeitos

A presidente anunciou ainda que vai promover este ano o encontro de contas de pelo menos 833 municípios

Diante de milhares de prefeitos, a presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (28) que não admite discriminação com base em opção “política, religiosa ou esportiva” e prometeu um pacote de bondades de R$ 66,8 bilhões para investimentos em diferentes áreas. As promessas foram tratadas como “boas notícias” pela presidente.

Ela anunciou ainda que vai promover este ano o encontro de contas de pelo menos 833 municípios, zerando a dívida previdenciária dessas cidades com prestações de até R$ 500 mil mensais a partir de março.

A promessa da presidente, feita no encontro promovido pelo governo federal com os prefeitos eleitos no ano passado, é liberar os R$ 66,8 bilhões ainda no início do mandato dos novos administradores municipais.

Dilma explicou que R$ 35,5 bilhões são para obras de saneamento, pavimentação e mobilidade urbana, já selecionadas no final de 2012.

“No inicio de fevereiro, os valores de cada município selecionado serão divulgados e imediatamente estarão liberados para que essas obras sejam executadas pelos senhores enquanto antes”, afirmou a presidente, sem dizer de onde vai sair essa verba.

Os R$ 30,3 bilhões restantes serão destinados numa nova seleção para investimentos, a ser feita este ano. “Também aqui não há tempo a perder e será necessário elaborar projetos”, afirmou a presidente.

Dilma anunciou ampliação do programa de moradia “Minha Casa Minha Vida”, novas quadras esportivas para escolas com mais de 100 alunos, construção de novas creches, ampliação e novos postos de saúde, recursos para estradas vicinais, entre outras bondades a serem feitas em parcerias com as prefeituras.

Contudo, os aplausos foram mais efusivos quando Dilma anunciou que todos os municípios com menos de 50 mil habitantes ganharão retroescavadeiras e motoniveladoras, compradas pelo governo federal.

Discriminação

Durante o discurso de cerca de 50 minutos, Dilma destacou a necessidade de parceria entre o governo e municípios. Pediu aos prefeitos que usem o direito republicano para discordar, exigir e pedir durante o encontro de três dias promovido pelo governo federal em Brasília.

“Estabelecemos um padrão de relacionamento republicano. Nós no governo federal não admitimos tratamento que discrimine municípios com base nas suas opções políticas, ideológicas, religiosas ou esportivas”, disse a presidente.

Contas

Dilma prometeu ainda fazer o encontro de contas previdenciárias dos municípios, uma das principais demandas dos prefeitos que participam do encontro. Segundo a presidente, são R$ 816 milhões já contabilizados e que serão quitados em parcelas mensais de até R$ 500 mil a partir de maço.

Inicialmente, serão beneficiados 833 municípios que tiveram as contas já apuradas. Segundo a presidente, o pagamento da primeira parcela “zera a dívida” de 79% desses municípios. “Há uma força tarefa do governo federal trabalhando nisso. Determinei minha equipe que acelere a apuração dos processos existentes para que possamos estabelecer um fluxo de pagamentos que garanta um tratamento mais adequado a todos os municípios nesse tema”, afirmou a presidente.

Dilma diz que governo é um “parceiro comprometido” de prefeitos

Agência Estado

Em pronunciamento no “Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas”, no Centro de Convenções de Brasília, nesta segunda-feira (28), a presidente Dilma Rousseff disse que todos os prefeitos encontrarão no governo federal um “parceiro comprometido” e que o encontro que está sendo realizado em Brasília “é um momento especial, uma oportunidade para fortalecermos nosso diálogo”.

29
jan

Combustíveis terão reajuste a partir desta quinta

O preço dos combustíveis será reajustado em 6,6% na refinaria e 5,4% no diesel a partir desta quarta, dia 30. De acordo com a Petrobrás, esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo.

A defasagem dos valores dos combustíveis foi um dos fatores que prejudicou os resultados da Petrobras em 2012 – entre abril e junho passado, a empresa teve o primeiro prejuízo trimestral em mais de 13 anos.

Matéria completa da Gazeta do Povo, com Reuters

Governo aumenta gasolina em 6,6% nas refinarias a partir desta quarta-feira

O reajuste provavelmente não eliminará a defasagem, mas dará fôlego para a Petrobras desenvolver seu bilionário plano de investimentos

A Petrobras anunciou alta do preço da gasolina de 6,6% na refinaria e do diesel em 5,4% a partir de quarta-feira (30), em um movimento amplamente esperado pelo mercado diante da defasagem dos valores dos combustíveis no país em relação às cotações internacionais.

O reajuste provavelmente não eliminará a defasagem, mas dará fôlego para a Petrobras desenvolver seu bilionário plano de investimentos.

“Esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo”, afirmou a estatal em comunicado nesta terça-feira (29).

A defasagem dos valores dos combustíveis foi um dos fatores que prejudicou os resultados da Petrobras em 2012 – entre abril e junho passado, a empresa teve o primeiro prejuízo trimestral em mais de 13 anos.

Ao longo de boa parte de 2012, a defasagem da gasolina da Petrobras vendida nas refinarias na comparação com o mercado norte-americano, uma referência internacional, esteve acima de 20%, com o governo – controlador da empresa – temendo o impacto de um aumento do combustível na inflação.

Em aumentos dos combustíveis em 2011 e 2012, o governo compensou a alta com redução de taxas, o que não será mais possível, uma vez que a Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico (Cide) está zerada para o diesel e a gasolina.

Os reajustes deverão ser repassados aos consumidores e, ainda que não integralmente, deverão ter impacto na inflação.

“O impacto na bomba é menor, é amortecido pela mistura de biocombustíveis, no caso da gasolina, o álcool, e no caso do diesel, o biodiesel”, afirmou à Reuters o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), Alisio Vaz.

A gasolina recebe atualmente uma mistura de 20% de etanol, enquanto a do biodiesel no diesel é de 5%.

Vaz disse ainda que o impacto do aumento pode ser amenizado por eventuais mudanças nas margens de distribuição e comercialização de cada distribuidora.

Segundo ele, cada distribuidora pode mexer em sua margem para repassar esse valor em um percentual maior ou menor, e por isso é difícil calcular qual será o nível de repasse de preço.

“Um aumento de reajuste na refinaria normalmente não chega nos mesmos percentuais aos postos. Normalmente, são ligeiramente inferiores”, afirmou ele.

O Banco Central (BC) estimou na semana passada que os preços da gasolina subiriam cerca de 5% neste ano ao consumidor final. Ao mesmo tempo, o BC espera que os preços das tarifas residenciais de energia elétrica caíam ao redor de 11%.

“O governo promoveu uma transfusão de sangue da Eletrobras para a Petrobras, baixando os preços da energia para promover um aumento da gasolina”, disse o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, que prevê impacto na bomba de 4% para a gasolina, aproximadamente.

O BC tem mostrado cada vez mais preocupação em 2013 com a inflação, que continua pressionada e pode colocar em xeque a atual política monetária de manutenção, por vários meses, da taxa básica de juro Selic na mínima histórica de 7,25% ao ano.

Segundo Pires, os percentuais de reajuste dos combustíveis e a data do anúncio vieram dentro do esperado. Isso porque, segundo ele, o balanço da estatal do quarto trimestre de 2012 não é muito promissor.

“É para dar uma alegria ao mercado, antecipando um resultado do quarto trimestre fraco na próxima segunda-feira.”

O aumento da gasolina e do diesel deverá provocar uma geração de caixa mensal de R$ 600 milhões a R$ 650 milhões por mês para a Petrobras, segundo cálculo do CBIE.

Etanol

Se o etanol amortece um pouco a alta no preço da gasolina, o aumento do combustível fóssil também abre caminho para usinas de cana elevarem os valores do biocombustível.

O governo não havia anunciado até a noite de terça-feira nenhuma medida compensatória ao setor sucroalcooleiro na tentativa de evitar uma alta do preço do etanol na esteira do aumento da gasolina.

O preço da gasolina tem atuado, nos últimos anos, como um teto para o valor do etanol.

De acordo com a estatal, os preços da gasolina e do diesel, sobre os quais incide o reajuste anunciado, não incluem os tributos federais Cide e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS.

Situação em Curitiba

No dia 16 de janeiro, o presidente do Sindicombustíveis, Roberto Fregonese, disse à Gazeta do Povoque, se o preço subisse 7% na refinaria, subiria em torno de R$ 0,19 por litro na bomba em Curitiba.

Segundo a pesquisa mais recente da ANP, na semana passada o preço médio da gasolina em Curitiba era de R$ 2,82 por litro, variando de R$ 2,70 a R$ 3,28. Na verdade, entre os 94 postos pesquisados pela agência, apenas um cobrava mais de R$ 2,90 – um estabelecimento com bandeira da Cosan que fica na Rua Professor João Soares Barcelos, 3716, no bairro Boqueirão, e estava cobrando R$ 3,28.

Como o preço médio cobrado pelas distribuidoras aos postos era de R$ 2,39, a chamada “margem de revenda” dos estabelecimentos de Curitiba era de R$ 0,43 por litro. Esse lucro refere-se apenas à diferença entre o que o posto paga à distribuidora e o que cobra dos clientes – não inclui, portanto, receitas com outros produtos e despesas com aluguel, funcionários e outros.

Veja a nota da Petrobras na íntegra

“A Petrobras informa o reajuste nos preços de venda nas refinarias dos derivados abaixo, a vigorar a partir da meia noite de 30 de janeiro de 2013:

Produtos – Reajuste (*)

Gasolina A – 6,6%

Diesel – 5,4%

(*) média Brasil

Os preços da gasolina e do diesel, sobre os quais incide o reajuste anunciado, não incluem os tributos federais CIDE e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS.

Esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da Companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo.

OPINIÃO – O subsídio continua, e faz mal. Depois não adianta reclamar

Fernando Jasper, repórter de Economia

Poucos acreditam quando o jornalista diz que o preço da gasolina estava defasado. Mas estava – e continuará defasado. Que fique claro: estou falando do valor lá na refinaria da Petrobras. Aquilo que o posto da sua esquina está cobrando desde o feriadão de Finados é outra história.

Antes do reajuste de ontem, o Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) estimava que o preço nas refinarias brasileiras estava 13% abaixo do valor internacional, sem contar os impostos. Isso significa que a Petrobras levava prejuízo ao importar quantidades crescentes de combustível para atender à demanda nacional. E continuará levando, porque o reajuste autorizado por Dilma Rousseff – preocupadíssima com a inflação — cobre só metade do rombo.

Segundo cálculo do jornal Valor Econômico, a estatal vinha perdendo R$ 1,8 bilhão por mês nessas operações. Problema dela, dirá o leitor. Pode ser. Mas tenha em mente que, ao queimar dinheiro com subsídios, a Petrobras tem menos recursos para investir no pré-sal (que está atrasado) e na produção local de gasolina (que hoje não supre a demanda).

Pior: o preço artificial da gasolina asfixia a indústria de etanol, que não é perfeita, mas é bem menos agressiva ao meio ambiente. Mantido o círculo vicioso, ficaremos cada vez mais dependentes da importação de combustíveis, “viciados em petróleo”, como diria um ex-presidente dos EUA. Depois não adianta reclamar.

Consultoria calcula alta de 4,2% da gasolina no posto

Agência Estado

O economista e sócio da Tendências Consultoria, Juan Jensen, afirmou que o aumento da gasolina, de 6,6% na refinaria, anunciado nesta terça-feira (29) pela Petrobras, será equivalente a uma elevação de 4,2% na bomba dos postos.