Skip to content

Archive for maio, 2012

31
mai

Palestra em Dourados sobre a saúde

Alceni Guerra tem realizado algumas palestras pelo País sobre Educação Integral e a saúde no Brasil.

Amanhã, dia 1? de junho, ele estará em Dourados, no Mato Grosso do Sul, para falar sobre a saúde dos brasileiros. Alceni vai abordar na palestra os anos em que foi ministro da Saúde, a fundação do Sistema Único de Saúde (SUS) em 1990, através das Leis n? 8.080 e n? 8.142, e apresentará dados importantes a respeito da atual saúde no Brasil.

A palestra é um convite do Bispo da cidade e acontecerá às 19h.

31
mai

Nova unidade da maior distribuidora de informática do Brasil será em Londrina

Mais uma notícia boa para o Paraná, desta vez é na área industrial. O Governo do Estado e a Officer Distribuidora assinaram um protocolo de intenções que deverá incluir o novo empreendimento de R$ 10 milhões da empresa, a ser construído em Londrina, no Programa Paraná Competitivo.

O valor será destinado a construção de um centro de armazenagem e distribuição, que deve começar a funcionar em abril de 2013.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Maior distribuidora de informática do Brasil terá unidade em Londrina

O Governo do Estado e a Officer Distribuidora assinaram nesta terça-feira (29/05) protocolo de intenções para enquadrar um empreendimento de R$ 10 milhões que a empresa fará em Londrina no programa Paraná Competitivo. As negociações para fechar o acordo começaram em outubro passado e foram conduzidas pelo governador Beto Richa.

O documento foi assinado pelo presidente e vice-presidente da Officer, Fábio Gaia e Mariano Gordinho, respectivamente, e pelo secretário de Estado da Fazenda, Luiz Carlos Hauly. Segundo ele, a finalização da negociação representa a determinação do governador Richa em criar um pólo logístico no Norte do Paraná.

Com o investimento, a Officer vai construir um centro de armazenagem e distribuição, que deve entrar em operação em abril do próximo ano e tem previsão de faturamento de R$ 600 milhões. A unidade vai gerar 50 empregos diretos. “O centro de distribuição de Londrina deverá responder por um terço da receita bruta da empresa”, disse Gaia.

A empresa paulista tem 27 anos de atuação, é a maior distribuidora de produtos de informática do Brasil e a quinta das Américas, com 15 mil pontos de revenda em carteira.

A distribuidora atende os principais fabricantes globais de software e hardware e prevê uma receita bruta de R$ 1,6 bilhão para este ano. 

MERCADO EM ALTA

O secretário Luiz Carlos Hauly avaliou que a chegada de uma empresa do porte da Officer fortalece o setor de tecnologia da informação (TI) do Paraná e estimula a economia de modo geral. “Haverá mais presença do Estado no mercado nacional de soluções de informática”, disse.

O presidente da Associação Comercial de Londrina, Nivaldo Benvenho, disse que “a Officer será um diferencial para o norte do Paraná e uma parceira na otimização do uso do aeroporto de Londrina, criando as condições para o ‘hub’ logístico que desejamos para Londrina”.

Fabio Gaia concordou com o bom momento do mercado nacional e informou que a receita da Officer no primeiro quadrimestre do ano cresceu 35% sobre o mesmo período de 2011. “Isso é reflexo do aumento de investimentos no Brasil, especialmente em tecnologia da informação”, disse.

30
mai

Paraná já recebeu R$ 860 milhões para a área da saúde

O Estado do Paraná já recebeu R$ 860 milhões de reais do início do ano até o mês de abril. A Secretaria de Estado da Saúde destinou o recurso para ações de prevenção e promoção da saúde em todo o Paraná. Esses números foram apresentados nesta terça, dia 29, pelo secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, durante a apresentação do balanço do primeiro quadrimestre do ano.

De acordo com o secretário, esse balanço mostra a redução expressiva da mortalidade materna e dos casos de dengue no Estado. Além disso, a produção de imunobiológicos (vacinas e soros) têm dado bons resultados, como a vacinação contra a gripe que ocupa o segundo lugar no ranking nacional em imunização.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Estado já aplicou R$ 860 milhões na saúde este ano

A Secretaria de Estado da Saúde já destinou até o mês de abril R$ 860 milhões para ações de prevenção e promoção da saúde em todo o Estado. O orçamento previsto para este ano de 2012 ultrapassa R$ 2,8 bilhões. Os números foram apresentados pelo secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, durante apresentação do balanço do primeiro quadrimestre do ano, na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (29). Ele destacou que o investimento já se reflete, entre outros avanços, na redução expressiva da mortalidade materna e dos casos de dengue no Estado.

“Esta é 13ª vez que venho a esta Casa e, mais do que cumprir uma formalidade legal, a apresentação do balanço do quadrimestre é uma oportunidade de mostrar à população onde os recursos estão sendo investidos na área da saúde”, disse o secretário.

Acompanhado dos superintendentes e coordenadores da secretaria, Caputo Neto informou que o Plano Estadual de Saúde 2012-2015 e o Relatório Anual de Gestão 2011 foram aprovados pelo Conselho Estadual de Saúde nos dias 23 e 24 deste mês.

Na área de Vigilância em Saúde, ele destacou a redução dos casos de dengue e das mortes maternas, a produção de imunobiológicos (vacinas e soros) e os bons resultados da vacinação contra a gripe no Estado, que ocupa o segundo lugar no ranking nacional em percentual de imunização. “No ano passado reduzimos em 36% as mortes maternas e deveremos avançar ainda mais com a implantação da Rede Mãe Paranaense”, disse o secretário.

O superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, mostrou que no quadrimestre não foi registrada nenhuma morte por dengue no Estado. “Realizamos reuniões mensais do Comitê Gestor Estadual de Controle da Dengue e monitoramos as atividades dos municípios, com apoio técnico-logístico. Com isto a redução do número de casos foi maior que 90%”, disse.

Paz lembrou que a área de vigilância é responsável por cuidar de doenças como a hanseníase, tuberculose, Aids, hepatites, raiva, entre outras, e que os bons índices que o Estado vem apresentando são resultado do monitoramento constante. “Existem ações específicas em cada região, como o Grupo de Trabalho Litoral, criado para fortalecer as ações de vigilância na região durante todo o ano, e não apenas na temporada de verão”, informou.

HOSPITAIS

De acordo com o superintendente de Gestão de Sistemas de Saúde, Paulo Almeida, no primeiro trimestre de 2012 (janeiro a março) foram realizados no Estado 105.457 procedimentos hospitalares, sendo 98.747 de média complexidade e 6.710 de alta complexidade, com investimentos de mais de R$ 113 milhões. No mesmo período, foram destinados R$ 80 milhões para atendimento ambulatorial, com a realização de 5.147.016 procedimentos. Destes, 389.674 foram consultas especializadas.

Na área de assistência farmacêutica, a coordenadora Deise Regina Pontarolli informou que 111 municípios com até 10 mil habitantes já assinaram termos de adesão ao programa que garante repasse de R$ 1 mil/mês para a organização da assistência farmacêutica municipal.

Segundo ela, nos primeiros quatro meses do ano a Secretaria da Saúde distribuiu R$ 154 milhões em medicamentos, dos quais R$ 80 milhões destinados a itens de alto custo. “Além desses valores, os recursos repassados para o Consórcio Paraná Saúde, que adquire medicamentos básicos para 390 municípios, ultrapassam R$ 17 milhões e estão em dia”, ressaltou Deise.

O diretor do Grupo Setorial de Recursos Humanos, Romildo Sbrissia, destacou que há previsão de nomeação de mais 1.780 servidores este ano. “Também reajustamos a Gratificação de Atividade de Saúde (GAS), que estava com os valores congelados desde 2007”, explicou Sbrissia.

Desde 2011, o governo já contratou 933 servidores concursados para atuar nos hospitais, regionais de saúde e unidades da secretaria em todo Estado.

RELATÓRIO

O próximo relatório quadrimestral será apresentado à Assembleia em setembro. O artigo 36 da Lei Complementar Federal nº 141 estabelece que o gestor do SUS deve elaborar um relatório detalhado referente ao quadrimestre anterior e apresentá-lo em audiência pública na Casa Legislativa.

29
mai

Governo adota novas normas para controle da frota

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

O governador em exercício Flávio Arns assinou nesta segunda-feira (28/05) um decreto que autoriza a Secretaria da Segurança Pública a publicar uma resolução para estabelecer novas normas para a utilização de veículos da frota da Polícia Civil, em complementação ao decreto 4.453, de 26 de abril de 2012.

Outra medida anunciada é a designação do delegado Walter Baruffi Filho para investigar possíveis irregularidades no uso de carros oficiais por agentes da polícia. Arns pediu que as conclusões sejam apresentadas em no máximo 30 dias.

Durante reunião com diversos secretários e a direção da Polícia Civil, Arns também autorizou a adoção de outras iniciativas (veja abaixo). Entre elas, o retorno de todos os veículos e servidores da Segurança Pública que estejam cedidos para outros órgãos da administração pública, com exceção do Gaeco.

Segundo Flávio Arns, o Governo do Estado está adotando medidas de saneamento e práticas de boa gestão desde o ano passado. De acordo com ele, a partir do lançamento do programa Paraná Seguro está havendo uma reestruturação organizacional das forças de segurança.

Arns disse que foram identificadas anomalias que têm mais de 10 anos e que precisam ser corrigidas. “A tarefa é colocar a casa em ordem e isso já estava sendo feito. Não vamos compactuar com eventuais distorções”, afirmou o governador em exercício.

Veja abaixo as medidas autorizadas pelo Governo do Estado na área de segurança pública.

1 – Designação do delegado Walter Baruffi Filho para investigar possíveis irregularidades no uso de veículos oficiais;
2 – Edição de resolução com novas determinações para controle do uso da frota de veículos das forças de segurança pública, complementar ao decreto 4.453, de 26 de abril de 2012;
3 – Cancelamento de todas as placas reservadas em uso na área da segurança pública. Novas autorizações para uso de placas reservadas vão passar pela avaliação do secretário da Segurança Pública e do chefe da Casa Militar do Governo do Estado;
4 – Contratação de instituição pública de reconhecida capacidade para elaborar projeto de reestruturação da segurança pública, com ênfase na Policia Civil;
5 – Abertura de concurso público para a contratação de novos delegados;
6 – Criação de grupo de trabalho para recolher e dar destino adequado a todos os veículos considerados inservíveis que estão sob a guarda de Delegacias de Polícia;
7 – Recolhimento de todos os veículos e retorno de todos os servidores da Segurança Pública que estejam cedidos para outros órgãos da administração pública, com exceção do Gaeco;
8 – Revisão e reforço dos controles sobre o sistema de diárias de viagem na Segurança Pública;
9 – Adoção de novas medidas para acelerar a transferência de presos de delegacias para o sistema penitenciário;

28
mai

Educação Integral em todo o Paraná

Nesta sexta-feira, dia 25/05, o governador em exercício Flávio Arns esteve em Pato Branco e reafirmou que o Governo pretende ampliar as atividades de contraturno e investir em educação em tempo integral nas escolas estaduais. Atualmente, 1.850 escolas oferecem alguma atividade em contraturno, mas o governo quer ampliar essa oferta nas 350 escolas que ainda não têm esse método de ensino. A ideia é implantar a educação integral nos 300 municípios paranaenses.

Alceni Guerra, que é um dos grandes idealizadores desse tipo de ensino no Brasil, sempre foi a favor da aplicação da educação integral. De acordo com ele, os alunos que têm acesso a esse tipo de ensino se desenvolvem melhor e há números que comprovem bons resultados.

O objetivo da educação integral é o de reorganizar o tempo e conteúdos para trabalhar melhor o desenvolvimento de cada aluno em sua totalidade.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Governo quer ensino integral em 300 municípios do Estado

O governador em exercício Flávio Arns reafirmou nesta sexta-feira (25/05), em Pato Branco, na região Sudoeste, o compromisso do governo estadual de ampliar as atividades de contraturno e investir em educação em tempo integral nas escolas estaduais. De acordo com ele, a meta é implantar educação em tempo integral em 300 municípios paranaenses. Hoje, 1.850 das 2,2 mil escolas da rede estadual já oferecem alguma atividade em contraturno, mas o governo trabalha para ampliar a oferta.

Arns destacou os investimentos realizados pelo Estado para melhorar a infraestrutura das unidades de ensino e, assim, oferecer um ensino de melhor qualidade. “Temos investimentos anunciados e programados que irão melhorar consideravelmente as estruturas físicas das escolas. Educação é a prioridade absoluta do governo, que investe na reforma, ampliação e construção de centenas de escolas”, disse Arns, que também é secretário de Educação.

O governador em exercício visitou os colégios estaduais Rui Barbosa, Carlos Gomes, Carmela Bortot, São João, São João Bosco e São Roque, além do Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA) de Pato Branco. “Fiz essas visitas para conhecer a realidade e as necessidades de cada escola. Queremos valorizar quem faz a educação, com maiores salários, oferta de cursos e construção de salas”, disse.

Arns afirmou que a intenção do governo e ampliar o tempo de permanência do aluno na escola. “Só assim ele estará longe de problemas como drogas e violência. O contraturno e o ensino integral são realidades no Paraná”, disse. O governador enumerou ainda avanços no transporte e na alimentação escolar, na formação dos profissionais da educação e aumento da oferta de línguas estrangeiras, além do fortalecimento da educação profissional e da alfabetização.

ESCOLAS

De acordo com a diretora do colégio Rui Barbosa, Elizete Dolci, a presença do governador na escola mostra o compromisso do governo com a educação pública de qualidade. A escola receberá investimento do Estado para a construção de três salas, banheiros, cozinha e uma quadra poliesportiva coberta. “É muito importante a presença do governador para acompanhar nossas necessidades e estreitar o relacionamento com os profissionais de educação”, disse ela.

Acompanharam a visita às escolas o prefeito de Pato Branco, Roberto Viganó, e o deputado estadual Augustinho Zucchi. Ainda em Pato Brranco Flávio Arns participará ainda da abertura da 19ª edição das Olimpíadas das Apaes do Paraná. Cerca de 1.070 atletas vão participar das provas, que reúnem representantes de todo o Estado.

25
mai

Vacinação contra a gripe ganha mais uma semana

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

O Ministério da Saúde prorrogou até 1.º de junho a 14.ª Campanha de Vacinação contra Gripe, que terminaria nesta sexta-feira (25). De acordo com Programa Estadual de Imunização, até a manhã desta quinta-feira (24), mais de 1 milhão de pessoas já tinham tomado a vacina, o que representa 65% do público-alvo, formado por idosos (com 60 anos ou mais), gestantes, crianças de seis meses a menos de 2 anos, indígenas e trabalhadores de unidades de saúde que fazem atendimento a casos de influenza.

A vacina está disponível em todas as unidades de saúde do Estado das 8 às 17 horas. “É fundamental que a população procure as unidades de saúde para receber a vacina o quanto antes”, destacou o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto. A vacina, que leva cerca de 15 dias para fazer efeito, protege contra os três vírus mais circulantes no País: influenza A (H3N2) – sazonal, influenza A (H1N1) e influenza tipo B.

Dos 399 municípios, apenas 85 já atingiram a meta de vacinação de 80% do público-alvo, estipulada pelo Ministério da Saúde. Goioxim, Nova Aliança do Ivaí e Pitangueiras vacinaram 100%. “Estamos intensificando a campanha nas regionais de saúde para que os municípios vacinem todos os grupos prioritários”, afirmou o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz.


25
mai

Taxa de desemprego na RMC cai em abril

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Curitiba foi de 4,3% no mês de abril, o que representa uma queda em relação ao mês de março, quando a taxa foi de 4,5%. Mas ainda é um pouco alta se comparada com o mesmo período em 2011. Em relação ao índice nacional de 6% (que não leva em conta o indicador de Curitiba), o Paraná ainda se sai melhor e a porcentagem da RMC é a segunda menor para o mês de abril desde a primeira pesquisa.

Matéria completa da Gazeta do Povo

Ainda acima de 2011, desemprego cai em abril

Taxa de desocupação em Curitiba e região recuou 0,2 ponto no mês passado, para 4,3% – um ano antes, era de 3,7%. Nível atual ainda é melhor que o da média nacional

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) sofreu ligeira queda no mês de abril, mas, a exemplo do que ocorreu em meses anteriores, continua mais alta que a observada no mesmo período de 2011. Em relação a março, o desemprego caiu 0,2 ponto porcentual, para 4,3%, acima dos 3,7% registrados um ano antes, informou ontem o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes).

Mesmo com a piora no cenário, o desemprego na RMC se manteve abaixo da média nacional, que baixou de 6,2% para 6% entre março e abril. Ao contrário da taxa curitibana, no entanto, o desemprego brasileiro no mês passado estava menor que em abril de 2011 (6,4%) – o nível atual, aliás, é o menor já registrado em meses de abril desde o início da série histórica, em 2002. A taxa nacional é calculada a partir dos índices verificados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em outras seis regiões metropolitanas. A queda na desocupação interrompeu uma série de aumentos iniciada em dezembro.

A perspectiva para Curitiba é de que os índices se mantenham em níveis mais altos que os registrados no ano passado, diz Daniel Nojima, diretor do Centro Estadual de Estatística (CEE) do Ipardes. “As futuras oscilações devem se manter nesse mesmo patamar, mas ainda é cedo para dizer se o movimento será de estabilidade ou queda”, afirma. Ele destaca que os indicadores locais ainda apresentam uma condição melhor que a média nacional, e vê a ligeira queda ocorrida entre março e abril como indício de melhora nas condições no mercado de trabalho.

No âmbito nacional, a variação na taxa é vista de modo mais conservador. Adriana Beringui, pesquisadora do IBGE, afirma que a oscilação representa um indicativo de estabilidade, e não de queda no desemprego. “Estatisticamente, a taxa se manteve estável, finalizando um processo de crescimento”, diz.

Para ela, o movimento foi sazonal: após um período de menor desemprego no fim do ano, com a contratação de temporários, o índice volta a aumentar nos primeiros meses do ano, até se estabilizar novamente.

A vantagem curitibana frente ao resto do país pode ser notada em outros indicadores que foram divulgados, como a taxa de atividade. Ela mede o porcentual de pessoas economicamente ativas em relação ao número de pessoas com 10 anos de idade ou mais. Embora tenha havido queda de 61% para 60,2% entre março e abril, o valor supera o patamar de 2011, de 58,9%, e fica acima da média nacional, de 57,2%.

O rendimento médio real dos trabalhadores também evoluiu nos últimos 12 meses, mesmo havendo uma queda recente. A remuneração média em abril em Curitiba foi de R$ 1.855,30, contra R$ 1.864,41 em março. Em todo país, a média no mês passado foi de R$ 1.719,50.

Aviso prévio maior vale só para empregado

Folhapress

O Ministério do Trabalho publicou uma nota técnica para esclarecer alguns pontos polêmicos da nova lei sobre o aviso prévio. Vigente desde outubro de 2011, a lei ampliou de 30 dias para até 90 dias o prazo do aviso prévio, que passa a ser proporcional ao tempo de trabalho do funcionário.

A nota destaca que a lei não deverá retroagir para demissões feitas até sua publicação, valem as regras antigas. O documento também esclarece que a legislação serve apenas para beneficiar os empregados. O funcionário que pede demissão, portanto, não está obrigado a cumprir aviso prévio superior a 30 dias.

O objetivo da nota foi nortear as interpretações da lei, que ainda gera discussões mesmo após seis meses da data de publicação. Sindicatos passaram a tentar garantir, na Justiça, o direito à aplicação retroativa da lei, alegando que a Constituição já instituía o aviso prévio proporcional, faltando apenas regulamentação específica para que fosse aplicada. Nos últimos meses, a Força Sindical abriu quase 2 mil processos nesse sentido.

Calçadistas demitiram 3,2% dos funcionários

Agência Estado

A indústria brasileira de calçados demitiu 3,2% de seus funcionários em 2011, informou ontem a Abicalçados. O setor fechou o ano empregando 335,5 mil pessoas, o que representa 3,3% dos trabalhadores formais da indústria nacional.

O relatório aponta ainda que a indústria calçadista reduziu em 8,4% o volume de pares produzidos no ano passado em relação a 2010. As 8,2 mil fábricas de calçados do país produziram 819 milhões de pares no último ano. Em valores, a produção calçadista gerou R$ 21,8 bilhões, o que equivale a 1,09% do valor total da indústria de transformação brasileira (excluindo extração mineral e construção civil).

O Brasil estava em oitavo lugar no ranking dos maiores exportadores de calçados do mundo. Em 2011, foram exportados 113 milhões de pares, com queda de 21% sobre o ano anterior. O faturamento caiu 13% na mesma comparação, para US$ 1,3 bilhão. “As empresas exportadoras vêm enfrentando problemas de competitividade no mercado exterior devido à excessiva valorização da moeda nacional”, observou o documento.

24
mai

Campanha de vacinação contra a gripe está terminando

A Campanha de vacinação contra a gripe está terminando nesta sexta, dia 25/05, e ainda faltam muitas pessoas se vacinarem. Até o início da semana mais de 935 mil paranaenses já haviam tomada a dose da vacina que está sendo aplicada em vários postos do Estado. De acordo com o Programa Estadual de Imunização, a meta é vacinar 1,3 milhão de pessoas.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Campanha de vacinação contra a gripe termina sexta-feira

Esta é a última semana da campanha de vacinação contra a gripe, que será encerrada na sexta-feira (25). De acordo com Programa Estadual de Imunização, até esta segunda-feira (21), mais de 935 mil paranaenses, da meta de 1,3 milhão, receberam a dose. A vacina está disponível em todas as unidades de saúde, das 8h às 17h, para pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, crianças com idade entre seis meses e dois anos, indígenas e trabalhadores da área de saúde que atendem casos de gripe.

Dos 399 municípios, apenas 40 atingiram a meta de vacinação estipulada pelo Ministério da Saúde (80%). Os municípios de Fernandes Pinheiro, Goioxim, Nova Aliança do Ivaí e Bela Vista do Caroba vacinaram mais de 93%. “Estamos intensificando a campanha nas regionais de saúde para que os municípios vacinem todos os grupos prioritários até sexta-feira”, afirmou o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz. O Ministério da Saúde ainda não informou se a campanha será prorrogada.

INDÍGENAS

A atualização dos dados da vacinação é realizada online pelos municípios. De acordo com Programa Estadual de Imunização a melhor adesão à campanha no estado é da população indígena, que alcançou 89,5% de cobertura, o que representa mais de 11,8 mil vacinados. Neste público, a vacinação ocorre nas aldeias.

Mais de 127 mil crianças receberam a vacina, o que representa 57% do total. Já entre os idosos, o índice de cobertura vacinal até agora foi de 54,7%. O percentual corresponde a quase 640,4 mil pessoas com 60 anos ou mais. Também foram vacinados 63,8 mil trabalhadores de saúde, o que representa 45,9% do total. As gestantes alcançaram o percentual de 44,1% de cobertura, ou seja, 49,3 mil futuras mães procuraram uma unidade de saúde para receber a vacina.

A vacina protege contra os três vírus influenza mais circulantes no país: influenza A (H3N2) – sazonal, influenza A (H1N1) e influenza tipo B. “A vacina leva cerca de 15 dias para começar a proteger a pessoa e como o inverno está chegando é fundamental que os grupos definidos como prioritários sejam vacinados o quanto antes”, reforçou Paz.

CRIANÇAS

As crianças de seis meses a menores de dois anos que não receberam a dose da vacina no ano passado, deverão receber duas doses (a segunda dose 30 dias após a primeira). Já as crianças que receberam as doses na campanha passada serão imunizadas com apenas uma dose. “É essencial que os pais levem a carteira de vacinação dos filhos para que as doses fiquem registradas”, destacou o superintendente.

A vacina só é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática ou alergia severa ao ovo de galinha e seus derivados, assim como a qualquer componente da vacina, e também para pessoas que apresentaram reações anafiláticas graves a doses anteriores.

MEDICAMENTO

Desde 2011, a Secretaria da Saúde faz um acompanhamento das síndromes respiratórias e oferece o medicamento oseltamivir para todos os casos em que é recomendado. Com o monitoramento são identificados novos subtipos virais, o que permite a detecção de possíveis vírus pandêmicos.

De acordo com o Informe Semanal n.º 13 do Centro de Informações e Respostas Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) este ano já foram registrados 14 casos de influenza A (H1N1) no Estado, e dois deles evoluíram para a morte do paciente.

No primeiro, o paciente estava em São Luis (MA) e apresentou os primeiros sintomas em 17 de janeiro. Ele veio a Curitiba e, de acordo com a equipe médica, apresentou febre, tosse, dispnéia, dor torácica e taquicardia. Foi hospitalizado e morreu dia 21 daquele mês. O segundo caso é um homem, de 41 anos, morador de Astorga. Ele apresentou sintomas em 12 de março e morreu quatro dias depois. Segundo a ficha epidemiológica, o paciente tinha quadro de obesidade mórbida e, apesar do tratamento, morreu.

BOX

Recomendações para prevenção de infecções respiratórias:
• Higienize as mãos frequentemente utilizando água e sabão, especialmente após tossir ou espirrar;
• Utilize solução de álcool gel após a higiene das mãos;
•Evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca após contato com superfícies (mesas, computadores de uso comum, maçanetas, botões de elevador, entre outros);
•Não compartilhe alimentos, copos, talheres, toalhas e objetos pessoais;
• Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com lenço descartável;
•Sempre que possível, evite aglomerações ou locais pouco arejados;
•Mantenha ambientes ventilados, inclusive em transportes coletivos;
•Adote uma rotina frequente de limpeza dos sistemas de ar condicionado;
•Evite o contato próximo com portadores de síndromes gripais ou outras doenças respiratórias;
•Adote uma rotina frequente de limpeza do ambiente em que vive.

23
mai

11 novos CRAS serão construídos no Paraná

Um investimento de mais de R$ 2,5 milhões para a construção de 11 Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) foi anunciado pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social do Paraná. Os recursos a serem investidos são do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS) e a ampliação da rede CRAS faz parte na nova política paranaense de assistência.

Na primeira etapa, 11 cidades consideradas prioritárias pelo Conselho Estadual de Assistência Social, que aprovou o repasse de recurso, serão atendidas pelos novos CRAS. Hoje o Paraná conta com 527 Centros de Referência funcionando em todo o Estado.

Matéria completa da Agência de Notícias do Paraná

Governo construirá CRAS em mais 11 municípios

A Secretaria da Família e Desenvolvimento Social anunciou um investimento de R$ 2,8 milhões para a construção de 11 novos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) no Estado. Os recursos são oriundos do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS), e foram aprovados pelo Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS).

A ampliação da rede de CRAS faz parte da nova política estadual de assistência social. Nesta primeira etapa, serão atendidos os municípios de Bom Sucesso, Borrazópolis, Campo do Tenente, Castro, Congoinhas, Rio Azul, Engenheiro Beltrão, Querência do Norte, São Jerônimo de Serra, Teixeira Soares e Vera Cruz do Oeste, considerados prioritários pelo Conselho Estadual.

“Com essas unidades, estamos consolidando o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no Estado, além de garantir acesso e qualidade nos serviços de assistência social”, afirmou a secretária da Família, Fernanda Richa.

A escolha das localidades foi feita a partir de critérios como a localização das famílias e necessidades técnicas dos municípios, explica Ana Macedo, integrante do Conselho e assessora técnica da secretaria.

Cada nova unidade terá capacidade para atender até 2.500 famílias em situação de extrema pobreza e/ou situação de vulnerabilidade social. Nos Centros, as famílias terão acesso a serviços e programas de transferência e geração de renda, além de Benefícios de Prestação Continuada (BPC).

Cada unidade receberá investimentos de aproximadamente R$ 260 mil, sendo que os municípios participam com 20% de contrapartida financeira.

A construção desses equipamentos faz parte da estratégia de implantação do programa Família Paranaense. Um dos eixos de execução do programa prevê que cada município possua, no mínimo, uma unidade de CRAS, para realizar o trabalho de busca ativa, acompanhamento e monitoramento das famílias.

INVESTIMENTOS

Os CRAS são equipamentos públicos responsáveis pelo atendimento a famílias em situação de vulnerabilidade e risco social. De base municipal, as unidades são voltadas para a prestação de serviços e programas da proteção social básica. Atualmente existem 527 CRAS em funcionamento no Paraná, conforme o último censo divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento Social.

22
mai

Polícia Civil do Paraná será reestruturada

O governador Beto Richa anunciou nesta segunda-feira, dia 21/05, que a Polícia Civil do Estado vai passar por uma auditoria e terá toda a área administrativa reestruturada. Nas próximas semanas, a Secretaria de Estado da Segurança Pública deve lançar um edital para contratação de uma de uma empresa que ficará responsável pelo novo planejamento estratégico e redesenho administrativo completo dos métodos e procedimentos da Polícia Civil.

De acordo com o governador, essas mudanças são necessárias para aprimorar o sistema administrativo e garantir maior rigor, controle e velocidade às ações da polícia.

Matéria completa da Gazeta do Povo

Polícia Civil terá contas auditadas e estrutura modificada

Após reportagem sobre irregularidade no fundo rotativo, governador anuncia controle dos gastos e determina reorganização da corporação

O governador Beto Richa (PSDB) anunciou ontem uma auditoria nas contas da Polícia Civil e a reorganização de toda a estrutura administrativa da corporação. Em síntese, trata-se de uma intervenção, já que a auditagem do fundo rotativo e o novo desenho organizacional da instituição ficarão a cargo de uma empresa privada a ser contratada por meio de licitação. Ao mesmo tempo, o governador prometeu rigor nas investigações das irregularidades apresentadas pela série de reportagens iniciada no domingo pela Gazeta do Povo. A Assembleia Legislativa, o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado também vão investigar as denúncias (leia mais nesta página).

O secretário estadual de Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César, detalhou que o objetivo é que a empresa terceirizada “repense” o “desenho organizacional”, os procedimentos e atos de gestão da Polícia Civil. Ao mesmo tempo, a contratada deve fazer uma auditoria nas contas da corporação, principalmente no fundo rotativo. A Gazeta do Povo mostrou casos de delegacias fantasmas que continuam recebendo recursos do fundo. Segundo o governador, o edital de licitação para a contratação da empresa que fará o planejamento será publicado nas próximas semanas. Nas palavras do governador, a Polícia Civil vai passar por “uma reestruturação administrativa completa”.

A princípio, não haverá substituições de delegados que comandam a Polícia Civil, mas as mudanças também podem chegar ao comando da corporação. “Todos, desde o mais simples servidor que possa ter tido uma participação nessa questão do fundo rotativo até o mais graduado delegado de polícia, ninguém vai escapar dessa investigação”, assegurou Richa. “Se houver necessidade de trocar cargos, seja em qual estrutura for, é evidente que isso acontecerá. Tão ou mais importante que a mudança de pessoas é a mudança de estrutura, mudança de procedimentos, é quebra de paradigmas”, complementou o secretário.

Para Almeida César, as denúncias apresentadas pela reportagem revelam um “caos” na segurança pública, alicerçado não só na estrutura organizacional da Polícia Civil, mas também na falta de investimento e no sucateamento das forças policiais do Paraná. “Tudo que foi publicado só reforça o que sentimos desde o primeiro dia: que há um profundo desmantelo da segurança pública. Municípios sem policiais, viaturas paradas, necessidade de se recompor as estruturas administrativas”, definiu.

Falhas históricas

O governador e o secretário atestaram que as suspeitas de irregularidades no fundo rotativo da Polícia Civil são um problema histórico. Há pelo menos15 anos já haviam sido identificados indícios de falhas nos repasses de recursos às delegacias do interior do estado. Entretanto, não foram divulgados detalhes dos casos. “Desde 1996 existe registro na Secretaria de Segurança de que existe reclamação, existe o próprio secretário da época apontando irregularidades na gestão desse fundo rotativo em várias regiões do estado”, apontou Richa.

O levantamento feito pela Gazeta do Povo considerou o período entre 2004 e 2011, intervalo sobre o qual há dados disponíveis no portal da Transparência do governo do estado. Uma equipe de jornalistas identificou valores excessivos para municípios pequenos e foi a campo para comprovar que o dinheiro saía das contas da Polícia Civil e não chegava ao destino, muitas vezes porque nem delegacia existia na cidade.

MP e TCE vão apurar os indícios de fraude

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) vão investigar as denúncias publicadas na série de reportagens “Polícia Fora da Lei”, iniciada domingo pela Gazeta do Povo. O MP abrirá uma investigação na Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público no âmbito cível e criminal. Já o TCE tomou três medidas para comprovar as irregularidades e melhorar a fiscalização nas contas do fundo rotativo da Polícia Civil.

De acordo com o presiden­­te do TCE, conselheiro Fernando Guimarães, o tribunal abrirá procedimentos de responsabilização. Caso se comprovem as irregularidades, os delegados gestores do fundo poderão ter de devolver o dinheiro recebido. Além disso, Guimarães já determinou a realização de estudo para desenvolver a melhor forma de fiscalizar o dinheiro do fundo. Hoje, a prestação de contas dessa verba está inclusa nas contas da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp).

“A lei estabelece que esse fundo seja repassado para a delegacia. Essas pessoas que receberam o recurso retornam a prestação de contas para a secretaria. E a consolidação dessa prestação é encaminhada ao TC pela prestação anual da Sesp”, explica Guimarães. Pela proposta do conselheiro, a prestação de contas do fundo deve ser analisada de forma específica e não dentro das contas da secretaria.

Guimarães admite que as contas do fundo rotativo passaram pelo TCE sem que os auditores fossem checar o destino final dos recursos, nas delegacias. “No geral das contas da Sesp, o porcentual do fundo rotativo, não que seja irrelevante, mas é pequeno em relação às outras despesas. E, como temos dificuldades de recursos humanos e materiais, os inspetores não selecionaram como foco o fundo rotativo das delegacias”, justifica.

No entanto, ele diz não ter havido falha do TCE. “Houve uma priorização de outros aspectos. Por critério de relevância, não tivemos condições de estar em todas as pontas da execução desta especialidade (o fundo). O ideal é que estivéssemos em todos os lugares, mas é impossível.” A 5ª Inspetoria de Controle Externo do TCE, responsável pela análise das contas da Sesp, também ficou encarregada de iniciar uma investigação a partir do que foi apurado pela reportagem da Gazeta do Povo.

Para Guimarães, é preciso construir um sistema financeiro mais moderno, aliado a um bom controle interno. “Eu posso ver a dificuldade deles (da Sesp e da Polícia Civil). É conjuntural. É um problema de controle interno. Agora, depois de anos, é que o estado está implantando um sistema”.

Preocupação

Deputado petista quer comissão especial para investigar denúncias

O deputado Tadeu Veneri (PT) vai propor hoje a instalação de uma Comissão Especial de Investigação (CEI) na Assembleia Legislativa do Paraná para apurar as irregularidades no fundo rotativo da Polícia Civil. O líder do governo na Casa, Ademar Traiano (PSDB), disse não ver razão para a CEI, uma vez que essa seria uma questão de ordem administrativa do Executivo.

Para Veneri, é preciso esclarecer quem solicitou os recursos, quem autorizou a liberação e qual o destino do dinheiro. “Como não foi percebido em 8 anos que a delegacia de Guaraqueçaba está às ruínas, que várias delegacias no interior nunca existiram?” questionou. “A preocupação é que haja outras situações de desvios de recursos além dessa denunciada pela Gazeta do Povo.”

Traiano afirmou que o governo já tomou as providências para apurar as responsabilidades e que é nessa instância política que o caso deve ser investigado. “A melhor resposta foi a ação rápida por parte do governo para responsabilizar e punir os possíveis envolvidos”, declarou. “O corpo da polícia é muito amplo e, às vezes, falhas ocorrem. Não é obrigação do governador saber do funcionamento de todas as delegacias do estado.”

No entanto, o secretário estadual de Controle Interno, Mauro Munhoz, admitiu que o sistema de fiscalização do governo precisa de ajustes. “As denúncias são uma demonstração de que há necessidade de melhorias, mas elas são gradativas. Esse quadro precisa ser revertido e o secretário de Segurança Pública já está fazendo isso.”

Presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia, o deputado Mauro Moraes (PSDB) deve encaminhar um ofício ao delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto, pedindo rigor nas investigações. “A Corregedoria da polícia precisa apurar os detalhes o quanto antes, sem omitir uma vírgula sequer sobre o que ocorreu.”

Euclides Lucas Garcia

Outro lado

Ex-secretário diz não ter conhecimento de fraudes em sua gestão

O ex-secretário de Segurança Pública Luiz Fernando Delazari, que esteve à frente da pasta entre maio de 2003 e abril de 2010, disse que nunca teve conhecimento de irregularidades no fundo rotativo da Polícia Civil. Dos oito anos analisados pela série “Polícia Fora da Lei”, seis correspondem ao período em que Delazari esteve no cargo. “Este fundo é alheio, sobre o qual o secretário não tem gestão. É um fundo da Polícia Civil, que a Polícia Civil geriu. Se eu soubesse de alguma irregularidade, ia mandar apurar”, disse.

“O gestor é um delegado, quem faz o controle interno é a Polícia Civil e quem faz o controle externo é o Tribunal de Contas. Isso não chega ao secretário”, completou. Delazari também se eximiu do fato do então delegado-geral Jorge Azor Pinto não ter detectado as evidências. A reportagem não conseguiu localizar o delegado Azor Pinto.

Onde o traficante é a autoridade

Pacata cidade de 3,6 mil habitantes na região Norte do Paraná, Conselheiro Mai­rinck se diferencia das demais pelo atendimento inusitado na delegacia de polícia. Quem atende a população na ausência dos policiais é um traficante. Condenado por tráfico de drogas, Davi Alves Ribeiro é o preso de confiança responsável por vigiar os três colegas de cela. O caso está longe de ser uma exceção. Em São Pedro do Ivaí, no Norte Central do estado, também são os próprios presos que vigiam os presos. Em Cruzeiro do Sul, no Noroeste, uma dona de casa fez as vezes de carcereira.